29 de setembro de 2017

Resenha | A Lista

2 comentários: | |


Título: A Lista
Autor: Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Ano: 2015


Sinopse:

Kitty Logan tem 32 anos e aos poucos está perdendo tudo o que conquistou: sua carreira está arruinada; seu namorado a deixou sem um motivo aparente; seu melhor amigo está decepcionado com ela; e o principal: sua confidente e mentora está gravemente doente. Antes de morrer, Constance deixa um mistério nas mãos de Kitty que pode ser a chave para sua mudança de vida: uma relação de nomes de pessoas desconhecidas. É com base neles que Kitty deverá escrever a melhor matéria de sua carreira. Quando começa a ouvir o que aquelas pessoas têm a dizer, Kitty aos poucos descobre as conexões entre suas histórias de vida e compreende por que foi escolhida para dar voz a elas. 


Opiniões da blogueira:


O que você faria se tudo aquilo pelo que você tanto sonhou fosse por água abaixo de um dia para o outro?O que você faria se reconhece no espelho alguém estranho e percebesse que o tempo te tornou alguém diferente de quem você gostaria de ser?
Kitty Logan é uma jornalista que trabalha na Revista Etcetera e conseguiu o trabalho dos sonhos como repórter do célebre Thirty Minutes,porém um erro de julgamento e uma matéria publicada causam o maior estrago na vida dela,fazendo com que Kitty caia fundo num poço de desilusão.
Com um relacionamento frustrado,a morte de sua mentora e a carreira por um fio,Kitty viaja fundo na matéria que pode significar seu recomeço.Antes de morrer,Constance deixa uma lista com cem nomes que aos olhos de todo mundo não faz o menor sentido, mas Kitty sabe que é nessa lista onde está sua oportunidade de provar quem ela é de verdade.
Uma história sobre perdão, pessoas e suas histórias, pois todo mundo tem algo para dizer e muito poucos sabem ouvir, é também uma história sobre superação,emocionante,com reviravoltas e muitas partes de tirar o fôlego,é por isso que eu recomendo que leiam e se deliciem com mais essa maravilhosa história de Cecelia Ahern.


Onde achar?
-Saraiva--R$26,90
-Travessa--R$39,90
-Estante Virtual--R$24,26
-Ler online-Le Livros
-Ler online-Minha Teca

É isso,espero que tenham gostado da resenha e que leiam :D
E aí,você já leu esse livro? O que achou?
Me conta ^.^ 

27 de setembro de 2017

Por que você não consegue se amar?

2 comentários: | |

Não entendo porque você não consegue enxergar a beleza do seu próprio sorriso ou a intensidade do teu ser, queria que pudesse se ver pelos meus olhos para compreender o que eu mais gosto em você, e quem sabe assim, talvez, você conseguisse se amar como eu amo você.

Por que você não consegue se amar? Por que detesta a cor dos seus olhos, o jeito como seu cabelo fica rebelde no vento e a covinha quando sorri?! Por que você não vê que o que você considera como seus próprios defeitos é o que você tem de mais bonito?! Por que eu preciso te dizer tudo isso quando você já deveria saber?!

Não entendo como você não percebe que todo mundo prefere ficar perto de você, porque sua risada é leve e seu olhar brilhante e cativante, não entendo como você não enxerga nada de maravilhoso em você e eu, mesmo usando óculos, consigo ver. Não entendo como você esconde seus olhos com uma franja quando a primeira coisa que todo mundo repara é quão lindos seus olhos são.

Por que você não consegue se amar? Por que todas as minhas tentativas de te fazer enxergar são falhas? Será que talvez eu não estou tentando o suficiente? Ou é culpa da sua teimosia? Por que você não consegue ver que sua alma é tão colorida que transborda e vem manchar meu coração de alegria? Por que você não vê que tudo em você é tão melhor que me faz ser melhor também?!

Por favor perdoe minha insistência, mas acredite nas minhas palavras, você tem que valorizar tudo que você tem de mais bonito, que no caso, para mim, é você por completo.

25 de setembro de 2017

A falsa liberdade

2 comentários: | |

LIBERTAS QUÆ SERA TAMEN (Liberdade antes que tardia), não era essa a ideia?! Um lugar onde nos libertamos de amarras muito bem presas no tempo e que trariam paz aos nossos corações, porém ninguém explicou que essa liberdade seria um tanto quanto falsa, ou pelos menos pode ter achado que a ideia ficaria subentendida.

Não entendo muito bem de liberdade, na verdade, supunha eu que ela seria uma forma de fazer algo de que se queria porque esse direito lhe era dado, mas não é bem assim, seguimos regras, padrões, escalas e exceções, não somos livres, somos escravos de uma falsa liberdade que nos prende e acorrenta nossas almas para que elas não voem ou se dispersem, almas bem presas tendem a achar que qualquer coisa solta é uma loucura, por isso elas não tentam sair, nós tentamos.

E essa liberdade é como andar em uma corda bamba num penhasco sem proteção, qualquer balanço contrário nos fará cair, ou melhor, despencar e por isso nos mantemos em linha reta, apenas alguns corajosos se arriscam a inverter o caminho, nem todos obtém sucesso, mas só o fato de tentarem, os fazem sentir melhor.

Queria que pudêssemos ver o documento mais antigo ao qual a liberdade é citada e assim enxergaríamos quão falha é a nossa ideia de hoje, não que seja um suicídio ideológico, não é isso, mas a liberdade é muito mais do que temos hoje e nós ainda temos tempo de ensinar nossas almas a voarem, então devemos tentar, porque a liberdade é a leveza de tudo e a mostra de que conseguimos flutuar.

22 de setembro de 2017

Aprenda a olhar mais para si mesmo

2 comentários: | |

Cada um sabe de si, essa é uma verdade universal e absoluta, cada um sabe daquilo que lhe convém, das suas próprias lutas e tropeços, sendo assim não entendo porque a vida do vizinho é sempre mais interessante, porque se importar se ele trocou de carro?! Ou se parece que ele é sempre feliz?!
Talvez ele seja mesmo, talvez seja porque aprendeu a falar mais de si mesmo do que encontrar em outros características que não o acrescentam em nada.

Temos que parar com essa mania de achar que todo mundo fala da gente e devemos falar sobre todo mundo, temos que parar de nos preocuparmos mais com o que as outras pessoas pensam de nós e de nossas atitudes, ninguém está vivendo por você, então porque perder seu precioso tempo reparando o quanto a pessoa faz de diferente ao invés de se concentrar em quem merece o máximo de você (Você mesmo)?!

Já parou para pensar que talvez a grama do vizinho não seja tão verde assim, que talvez ele apenas dê uma atenção maior ao próprio jardim porque à ele pouco importam os outros jardins?! E se ele, que você tanto observa, não se preocupa em te observar de volta, não seria melhor simplesmente parar e começar a olhar mais para dentro de si mesmo?!

Ninguém vai ser perfeito, todos cometeremos erros, mas quando aprendermos a olhar mais para quem podemos ser e deixarmos de lado a observação de outros, talvez começaremos a errar menos e poderemos encontrar mais felicidade naquele que mais a merece (Nós mesmos).

20 de setembro de 2017

Perigo

2 comentários: | |


Me pergunto porque nossas mentes insistem em ultrapassar as placas de PERIGO,mesmo sabendo que ela significam uma queda grande e um machucado bem feio,nossas mentes insistem em continuar,em se pregar uma peça e despencar precipício abaixo sem medo de amanhã...

Me pergunto qual a sensação que elas tem,qual a adrenalina que elas presenciam quando estamos no fundo do poço depois de claramente ter tido a chance de recuar,não entendo nada, talvez eu nunca tenha entendido nada,mas esse assunto especificamente me intriga,como é possível ir na direção oposta ao que você precisa,não sei...

Me pergunto o que é que nossas mentes pregam em suas ideias para enfrentar o dragão mais perigoso e mortal e depois nos obrigarem a juntar os cacos, pedaços que entram como farpas no nosso interior e ferem caoticamente sem fazer a mínima distinção...

Eu me pergunto porque eu sentia um leve tremor,mas minha mente não me deixou voltar,foi como a sensação de que um terremoto se aproximava,mas eu precisava estar a mostra,pronta para ser engolida e chegar ao seu epicentro de qualquer maneira,independente do que viesse a sobrar de mim depois...

Eu me pergunto porque agora eu estou no fim dessa estrada e só sobrou o pó de tudo que eu era,fui dragada aqui como um rio que impedia a passagem,eu tenho mais feridas do que os band aids podem curar, tenho mais cicatrizes do que eu posso contar, tudo porque a minha mente me fez ir adiante mesmo tudo me apontando o contrário,ela não me deixou declinar da proposta,eu tive que ir e agora só restou isso...Apenas fragmentos do que minha mente quis conquistar...

18 de setembro de 2017

Esquecimento

2 comentários: | |
*Retirada do Google*

Eu sei que prometi nunca mais guardar que seus olhos tem o tom de castanho mais próximo da cor do infinito,ou o jeito como suas mãos tremem quando você fala algo extremamente importante,eu sei que prometi esquecer cada detalhe de você e provar a mim mesma que existe algo além do que nós inventamos nessas nossas mentes malucas,eu sei,mas é difícil cumprir...

Você me deletou tão fácil,que eu fiquei impressionada com a sua capacidade de esquecimento instantâneo,como em que parte eu fui tão importante na sua vida que você simplesmente desistiu e não me procurou mais,é difícil pensar nisso ainda agora,mas eu preciso,porque me prometi que faria.

E essa é uma daquelas promessas que a gente não quer cumprir,sabe,porque o coração sente tanta falta que o esquecimento nunca fica completo,sempre sobra um pedaço,uma ponta solta que arranha o peito e produz fagulhas quentes demais para aguentar.Me pergunto se você me pode me ensinar a esquecer,porque nessa matéria eu estou tirando um zero de novo...

Eu prometi esquecer cada falha também, porque as falhas trazem dor e a dor é um pedaço de lembrança,e um pedaço de lembrança já é algo grande demais para ficar esquecido...Eu tentei não escrever sobre o que sentia em relação a nós,mas esse relato já transmitiu tudo e não fez cumprir minha promessa,eu jurei esquecimento,jurei nunca mais lembrar de ti...mas eu quebrei esse juramento,quebrei em pedacinhos tão ínfimos que nem eles sabem mais o que significa esquecimento.

15 de setembro de 2017

Relatos de um papel

2 comentários: | |


Um dia eu era uma árvore,grande e forte,até ser derrubada e virar esse papel,um dia eu não tinha dono,era livre na minha limitação,agora sou dele.
Ele que não tem nome,mas se denomina "poeta da madrugada",que me acorda todo dia no mesmo horário para jogar palavras em mim e depois apagar tudo.
Ele que tem a barba por fazer e só não me rasgou ainda porque não teve coragem,ele me encara como se soubesse que eu consigo ser o que ele precisa,e eu fico quieto observando suas mãos trêmulas depois de mais uma dose de frustrações...

Ele só usa lápis comigo,caneta só em outros,os que ele rasga e joga na lata de lixo sem olhar para trás,eu me considero um pouco especial,pelo menos ele ainda me olha com certa esperança.
Eu não consigo encará-lo por muito tempo,me sinto desconfortável em reparar como a cada dia ele fica pior e mais focado em mim,queria que ele desistisse de uma vez e não me manchasse mais,mas parte do meu egoísmo implora para que ele volte mais tarde...

Ele sangra em mim,deixa sua alma marcada em cada extremidade e parece que só isso o faz bem,é cansativo para nós dois esse conjunto,mas parece necessário,um dia talvez ele não me precise mais e descarte como fez com meia dúzia de outros papéis,por enquanto eu sigo nessa rotina,no limite entre ser preciso e ser descartável...

13 de setembro de 2017

Setembro Amarelo

2 comentários: | |


Não se sinta só,não pense que não há nada em você que valha,não se menospreze, não machuque seu corpo ou sua alma com ideias de que não é suficiente,não se esconda,não se cale,grite,fale pra mim.
Não é justo não se amar,não é justo com você mesmo,porque eu sei do seu valor,mesmo que você mesmo não saiba,há mais do que você tenta esconder,eu consigo ver,então não faça isso que está na sua cabeça.
Resultado de imagem para setembro amarelo
Não se ache um fracassado,porque você não é,todos nós temos algo de que não gostamos,mas precisamos aprender a lidar com isso,você merece mais uma chance,você merece tanto quanto qualquer outra pessoa,mais uma respiração,mais uma luta,tentar outra vez.

Resultado de imagem para setembro amarelo

Eu vejo você,vejo seus medos,suas inseguranças,mas eu vejo algo que talvez você não veja,eu sinto você,sua alma que mesmo na treva é colorida e até o sorriso que você teima em esconder,eu vejo o quanto você se esforça,e você vai conseguir,mesmo achando que não,eu sei que vai,porque você pode,você merece,você é alguém de valor.
Eu acredito em você,e você acredita em mim?
Vamos tentar outra vez,eu e você juntos,que tal?

11 de setembro de 2017

Resenha | O Caso do Hotel Bertram

Nenhum comentário: | |

Título:O caso do Hotel Bertram
Autor: Agatha Christie
Editora: L&PM Pocket
Ano: 1965

"Nada.Só um pensamento.Os extremos se encontram"


Sinopse:


Quando Miss Marple deixa o pacato vilarejo de St. Mary Mead para passar uma temporada em Londres, não hesita em se hospedar no tradicional Hotel Bertram. Mas, para além de tudo o que procurava para aproveitar as merecidas férias – requinte, serviço impecável e agradáveis memórias de infância –, acaba se deparando com uma inconfundível atmosfera de perigo. Nem mesmo sua sagacidade pode prever a cadeia de eventos violentos que se inicia quando um dos hóspedes desaparece repentinamente. Em O caso do Hotel Bertram, publicado em 1965, Miss Marple é uma peça fundamental para ajudar a Scotland Yard a desvendar os mistérios que se escondem por detrás dessas sofisticadas paredes, antes que seja tarde demais...
“[Tem um] ritmo esplêndido! Uma das melhores produções de Agatha Christie.”
"Achei que se ela aprendesse a me amar,isso só lhe traria sofrimento.O senhor pode não acreditar,mas era o que eu sentia."


Opiniões da blogueira


Nesse livro temos a doce e amada Miss Marple sendo mais uma vez um elo de resolução dos problemas da Scotland Yard.
Porém, nesse livro nossa detetive amadora não é a protagonista e sim o inspetor Davy,uma "raposa velha" da polícia,carinhosamente apelidado de Pai,que vai investigando e juntando as peças através do relato de uma velhinha um tanto quanto curiosa e bem observadora(lhe é familiar?!).
A história se passa no esplendido Hotel Bertram, uma das relíquias Eduardianas que sobreviveu ao caos e modernidade, é lá o lugar escolhido por Miss Jane Marple para passar alguns dias de descanso oferecidos por seu querido sobrinho Raymond e sua esposa,porém o que era para ser uma simples estadia vira um pequeno pesadelo quando um cônego bem esquecido desaparece e uma pessoa é assassinada na porta do maravilhoso Hotel,todos podem ser suspeitos.
Há uma jovem herdeira de grande fortuna que insiste em saber quem ficará com o dinheiro se ela morrer,uma mãe que parece alheia a sua filha,um tutor que não conhece nem um terço de sua tutelada e um caso de roubos sem solução que utilizam carros com placas parecidas e o assassinato de uma pessoa completamente alheia a história,tudo isso de tirar o fôlego,porque por mais que você ache que sabe o que vem acontecendo,a Agatha faz suas ideias se perderem pelo caminho,e somente nas últimas páginas é que a história será realmente revelada para deixar qualquer um de queixo caído.
Eu recomendo muito que leiam pois é um livro muito bem construído e a história,apesar de tudo que acontece,é bem leve e fácil de absorver.

"Achou que o crime seria atribuído a algum bandido se aproveitando do neveiro.Sim,estava tudo sob controle.Mas depois..."

Onde achar?


Essa foi a resenha de hoje,e você,já leu o livro?Quer ler?
Me conta :D

8 de setembro de 2017

Top 7: Coisas que preciso me obrigar a fazer

2 comentários: | |

Hoje a postagem é um tema do Top 7 do Blogs Up,onde eu devo citar as 7 coisas que eu preciso me obrigar a fazer,então vamos lá.

1.Me organizar
Eu sou uma pessoa muito bagunceira,de verdade,não deixo absolutamente tudo jogado,mas ainda preciso melhorar bastante,então acho que eu tenho que pegar mais no meu próprio pé para ser mais organizada com as coisas e ter mais disposição pra arrumar tudo.

2.Relaxar
Sou ligada nos 220 volts viu,por isso às vezes eu tenho que falar pra mim mesma "Calma garota,relaxa",por isso eu preciso aprender a como relaxar e me obrigar a fazer isso,quando eu conseguir,vai me ajudar bastante.

3.Ler outros autores
Ultimamente eu só tenho lido Agatha Christie,talvez na ânsia de completar logo minha coleção,mas o fato é que eu preciso me obrigar a ler outros autores e outros gêneros também,para não ficar presa numa ideia só.

4.Falar menos
Percebi que eu estou falando mais que uma matraca,então preciso aprender a ficar um pouco quieta e ouvir apenas,para absorver outros pontos de vista e opiniões diferentes.

5.Ser mais decisiva
Eu geralmente não volto atrás nas minhas decisões,mas com certos assuntos eu tendo a tentar dar outra chance e acabo me magoando,por isso eu tenho que aprender a dar um ponto final de vez e deixar para trás.

6.Ser mais calma
Eu sou uma pessoa que já sai xingando,principalmente quando algo me tira do sério,mas eu realmente tenho que aprender a ser mais calma e não surtar tanto,porque eu sei o quanto isso me prejudica.

7.Ser mais concentrada
Eu geralmente não me concentro em momentos bem importantes e isso afeta a minha qualidade,tanto no trabalho quanto na vida propriamente dita,por isso eu preciso me obrigar a estar 100 % focada em tudo e fazer o que eu tenho que fazer com a máxima concentração que me for permitida.

Enfim,essas são as 7 coisas que eu preciso me obrigar a fazer e você?
Me conta :D
Beijos ^.^

6 de setembro de 2017

Eu não quero ser poeta

2 comentários: | |

Eu não quero ser poeta, não mesmo, não quero mais.
Poeta sangra, sofre e se desintegra nas próprias lágrimas, poeta descobre a dor de um modo bruto demais, insensível demais que mexe com a alma, ser poeta é mais do que consigo aguentar.

Eu não quero ser poeta, meu eu lírico é egoísta demais, ele nunca admitiria tal insolência, jamais me deixaria abastecer a mente dessas histórias que me dragariam como um rio, não posso.

Eu não quero ser poeta hoje, talvez amanhã eu queira, eu me renda a uma paixão desenfreada e sem sentido buscando uma inspiração vã e insignificante para escrever e adorar, ou me afogue nos meus próprios sentimentos frios e perversos da falta de amor ou vida, mas hoje não quero.

Eu não quero ser poeta, porque poeta se envolve, não se cala e se abala de formas completamente absurdas e eu sou frágil para isso, sei que sou, poeta se joga de cabeça e eu já choro de ralar o joelho, então não, eu não quero ser poeta...

Mas não consigo evitar, o que me consome e desgasta a minha mente, porque as palavras me perseguem dia e noite sem desistir de mim, mesmo quando eu não suporto mais e fujo delas, essas mesmas palavras que se entregam a mim sem segredo e compartilham comigo tudo de melhor e pior que elas tem.

Eu não consigo evitar segurar um lápis ou caneta e fazer manchar o papel, é difícil demais, é intenso demais para controlar e eu me perco por horas em algo que me destrói e constrói ao mesmo tempo, é essa contradição completamente inútil que inunda o meu ser e eu não sei como agir, eu não quero ser poeta,mas não consigo evitar, porque a poesia mora em mim e eu sei que aqui é o seu lugar.

4 de setembro de 2017

O autor- Por Jessica Aguillar

2 comentários: | |


Sou o tal autor anônimo
Desconhecido,que fala o que sente
Sem mostrar a face desesperada,
despedaçada da solidão.

Sou o tal autor incrível
Que disse exatamente o que você sente
O pensa sentir
E que deveria ter assinado o poema.

Eu não mereço reconhecimento
Minhas mãos trabalham mais do que meu cérebro
O que escorre no papel é sentimento oculto
Sem razão para fluir.

Eu não mereço reconhecimento
Porque o que sinto não está no papel
Não é possível de se ver
Sou só o tal autor anônimo.

1 de setembro de 2017

Tudo que é bom dura pouco

2 comentários: | |

Hoje,dia 1 de setembro eu vim escrever como participar do BEDA do Blogs Up mês passado foi uma experiência maravilhosa para mim,eu,que nesses quase três anos de blog nunca tinha participado de um projeto tão grande,consegui me superar e voltar a publicar uma postagem por dia durante um mês inteiro.
Mas como tudo que é bom dura pouco,eu vou voltar a postagem no cronograma de antes do projeto,porque três posts por semana me parecem ser a metragem ideal e eu não consigo escrever várias postagens para ir programando o mês todo como fiz com o BEDA porque eu comecei a escrever as postagens do projeto desde Abril,então imagina os quatro meses de maior loucura e estresse para não faltar com nenhum dia kkkkk

O que eu posso garantir é que as três postagens na semana serão bem variadas e o conteúdo vai ser todo voltado aos meus momentos e sentimentos sempre,por isso não me abandonem hein rs.
Esses foram todos os temas postados no mês de Agosto


Dessa lista imensa,infelizmente só não consegui postar o tema 23,pois eu ainda não curso faculdade e achei que não haveria sentido fazer essa postagem,mas todos os outros temas estão em dia e vocês podem ver todos clicando aqui.

O tema 24 foi um dos meus preferidos,um texto que eu criei no meio do meu expediente de trabalho e fui finalizar no dia seguinte em casa,confira aqui.
"Vazio após vazio,e aqui não falo de onde estamos e sim do que sentimos,porque eu também sinto em cada falta,em cada pedaço que as pessoas deixam ao sair do vagão,sinto os suspiros de tristeza ou o sorriso sincero depois daquele beijo,eu sinto sim,cada história,cada empática história que molda meus observadores e observados."

Então é isso,só queria mesmo resumir essa postagem em GRATIDÃO e avisar que segunda feira tem um texto inédito criado pela minha irmã,então não percam :D
Beijos ^.^
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Tecnologia do Blogger
Edição e Design: Jennyfer Aguillar || Todos os direitos reservados © 2014-2018